O Sermão da Montanha - seu lugar no evangelho

O Sermão da Montanha – Seu lugar no evangelho

Publicado em O Sermão da Montanha no dia 7 de outubro de 2015

Sermão da Montanha

O Sermão da Montanha está localizado no texto de Mateus capítulos 5, 6 e 7. Antes, porém, para uma compreensão mais apurada deste texto, devemos entender os textos que estão registrados antes e o ensino que se segue ao Sermão do Monte.

Assim temos:

Texto Função literária
A infância de Jesus – Mateus 1 e 2 Mostrar a vinda do Cristo e sua divindade
O começo do ministério de Jesus – Mateus 3 e 4 Mostrar a preparação do Cristo, a chamada dos discípulos e os primeiros curados que atestam o seu poder divino
O sermão do monte – Mateus 5, 6 e 7 Fundamenta os ensinos sobre o Reino dos Céus.
Os ensinos sobre o Reino dos Céus O Cristo, o messias divino, prega e vive os valores do Reino dos Céus que foram ensinados no Sermão do Monte.

 

Dessa forma, podemos dizer que o Sermão da Montanha é o fundamento do ministério de Jesus e o centro dos seus ensinos, pois tudo o que Jesus ensinou e praticou está estabelecido sobre esses discursos.

O texto do Sermão da Montanha apresenta uma estrutura e uma sequência lógica. Isso significa que nós não podemos compreender suas partes sem antes compreender o todo.

Para compreender o contexto mais abrangente do Sermão do Monte propomos a seguinte divisão literária:

Mateus 5 : 3 – 16 – As questões gerais sobre a vida cristã. Todos os demais ensinamentos a partir daqui são derivados desses pontos centrais.

Versos 3 ao 10 – As bem-aventuranças. Jesus trata sobre o caráter do cristão.
Versos 11 e 12 – As reações. As reações do mundo contra o caráter cristão. Em razão deste caráter certas coisas sobrevirão aos discípulos de Jesus.
Versos 13 a 16 – A sociedade e o discípulo. Nesse trecho são descritas as relações dos discípulos de Jesus com a sociedade. Aqui Jesus trata sobre a função do discípulo no mundo. No fim desse trecho Jesus faz um resumo das atividades dos seus discípulos afirmando que Deus seria glorificado como resultado dessa ação.
Mateus 5 : 17 – 48 – A partir desse ponto, Jesus passa do geral ao particular. Jesus coloca os seus discípulos de frente com a Lei de Deus. Aqui o discípulo é confrontado com as questões práticas da vida tais como : o homicídio, o adultério, o divórcio e as suas atitudes para com o seu próximo.

Jesus ensina aos seus discípulos que eles deveriame star envolvidos com o espírito da Lei e não com o seu mecanismo. Os fariseus, por exemplo, estavam muito mais interessados no funcionamento e nas engranagens das leis do que na aplicação e mudança que ela poderia trazer para os seus praticantes.

Mateus 6 – Jesus trata sobre a vida do discípulo e o seu relacionamento e dependência de Deus. Por isso ele começa esse discurso dizendo que as suas obras não deveriam ser praticadas em função do elogio dos homens.

Aqui está a descrição do discípulo que sabe que está diante de Deus. Por isso a oração « Pai Nosso » está inserida nesse trecho. Todo o capítulo gira em torno da relação do cristão com Deus.

Mateus 7 – O tema dessa perícope é o temor de Deus. O discípulo sabe que, por estar diante de Deus, ele está constantemente sob a supervisão divina.

O seguidor de Cristo tem a consciência de que está 24 horas por dia diante de Deus. Por isso, todas as suas ações são tomadas de acordo com essa relação.

O discípulo de Cristo não dá o lugar mais importante às preocupações da vida, pois o lugar mais importante pertence à sua relação com Deus.

Outro ponto importante deste discurso é que o discípulo deve viver sua relação com Deus nesse mundo. Isto é, o seu relacionamento com Deus se traduz em ações práticas e com envolvimento na sociedade. Assim, não é preciso se retirar a lugares ermos e distantes para ter uma relação mais pessoal e próxima de Deus.

Deixe seu comentário: