O Sermão da Montanha - As bem aventuranças

O Sermão da Montanha – As bem aventuranças

Publicado em O Sermão da Montanha no dia 28 de outubro de 2015

Sermão da Montanha

No trecho do Sermão da Montanha, conhecido como “bem aventuranças” (Mateus 5:3-12) Jesus trata do caráter do seu discípulo, isto é, quais são as características que fazem dele um verdadeiro seguidor. Entretanto, as bem aventuranças não se tratam de aspectos de um cristão nobre ou íntegro, nem foram dadas para cristãos mais piedosos ou mais iluminados.

Jesus pregou sobre o Reino dos Céus e aqui nesse texto Jesus faz uma análise do perfil do cidadão deste Reino. O Reino dos Céus é um reino de justiça. Logo, todos os seus cidadãos devem mostrar um caráter justo. Este Reino, conforme o ensino progressivo de Jesus em Mateus, ainda não foi plenamente estabelecido. Porém, todos os seus cidadãos devem manisfestar deste agora os valores deste reino.

Dessa forma, o Reino dos céus já uma realidade para todos aqueles que crêem. É um Reino que virá, mas de certa maneira, ele já está manifesto por meio das ações dos seus cidadãos.

A vida do discípulo de Jesus é uma caminhada e as bem aventuranças representam a sua disposição durante este trajeto. Assim, por meio dessas disposições, o discípulo de Jesus, o cidadão do Reino dos Céus, poderá agir de acordo com os ensinos de Jesus estabelecidos em todo o resto do Evangelho.

As bem aventuranças do sermão da montanha falam também da felicidade do Reino dos Céus e o mundo busca a felicidade. Contudo, as bem aventuranças tratam de uma felicidade eterna, duradoura e não passageira como a do mundo.

A busca do mundo pela felicidade vai produzir toda sorte de sofrimentos e tristezas, pois, usa-se qualquer método para alcança-la. Entretanto, a felicidade do Reino dos Céus é alcançada pelo abandono até mesmo dos direitos que os discípulo de Jesus acha ter. O cidadão do Reino dos Céus durante sua caminhada pode até mesmo passar por algum sofrimento. Mas, mesmo assim, ele deve mostrar todas as características listadas nas bem aventuranças.

Porém, estas características não devem ser confundidas com os frutos do Espírito, pois estes vem como resultado da vivência de acordo com todos os aspectos citados por Jesus nessa passagem. Aqui, Jesus mostra que o cidadão do Reino dos Céus deve estar próximo dele antes mesmo de agir como tal. Portanto, a questão do “ser” fundamenta o “fazer” e o “produzir” do discípulo.

Cada um desses aspectos do caráter do discípulo de Jesus está ligado ao outro precedente, e todos eles estão ligados à realidade de estar próximo de Jesus. Veja o esquema abaixo:

Esquema Sermão da Montanha

O discípulo de Jesus é identificado aqui como aquele que está diante dele, aquele que já se aproximou para ouvir seus ensinos. E Jesus se dirige somente a eles e não aos outros que se mantiveram à distância.

Por isso, o Reino dos céus é de todos aqueles que são humildes de espírito. A humildade de espírito fará o discípulo chorar por causa de sua condição, pois se trata de um exercício doloroso. Este choro nos tornará mais doce, gentil nos dando da mesma maneira fome e sede de justiça, isto é, o desejo de ser aceito por Deus. Uma vez aceitos por Deus, estendemos sua misericórdia ao próximo. O cidadão do reino estende sua misericórdia ao próximo pois o seu olhar é o olhar de quem já foi transformado, assim o seu coração está puro e pode procurar estabelecer a paz com todos os seus semelhantes.

E todos esses movimentos, que partem de uma caráter de quem pertence ao Reino dos Céus, atraem para si a perseguição e a oposição, pois o mundo caminha no sentido oposto do caminho que o discípulo de Jesus percorre. O resultado disso é a alegria, não pela condição momentanêa da caminhada, mas em razão da eternidade da bem aventurança que o Reino dos Céus traz para os seus cidadãos.

A partir dos próximos estudos entraremos em cada uma das bem aventuranças individualmente.

Deixe seu comentário: