O Sermão da Montanha - a poderosa fraqueza dos mansos

O Sermão da Montanha – Os mansos

Publicado em Estudos no Novo Testamento O Sermão da Montanha no dia 23 de maio de 2016

Sermão da Montanha - Os mansos

O Sermão da Montanha – Os mansos

O Sermão da Montanha exige o contrário dos cidadãos do Reino dos Céus, pois o sistema de pensamento atual nos pede para ganharmos o mundo. E muitas vezes, para conquistarmos o mundo é preciso ser agressivo, autoritário ou mostrar algum tipo de poder. Pede-se que passemos por cima de todos para ganharmos tudo.

No Sermão da Montanha Jesus afirma duas coisas que contrastam com o sistema de pensamento do mundo. A primeira é que seus discípulos devem ser mansos, e a segunda é que o reino dos céus é uma herança. Desta forma, jesus derruba ao mesmo tempo a agressividade da vida e também a obrigação de conquistar as coisas, pois o mais importante nos é dado.

Assim, a vida cristã não se trata de algo que nós fazemos, mas aquilo que nós somos. Neste caso somos mansos e herdeiros. Logo, o cristão é alguém que anda na contramão do mundo.

O termo que Mateus utiliza neste texto para designar alguém manso quer literalmente dizer ” a força de Deus sobre controle”. Mas porque esta definição?

O ser humano em geral não é manso. Os nossos pensamentos e a nossa vontade de dominar nos impede de sermos mansos, pois nós queremos sempre conquistar e dominar. Ser manso só é possível apenas quando nós estamos sob o controle de Deus. De fato, ser manso em um mundo que nos obriga a ganhar tudo e todos requer muita força, mas não a nossa, porém a de Deus.

Temos que nos lembrar que nós estamos Subindo a Montanha. Nós estamos passando pela transformação. E esta transformação nos custa caro. Neste caso, paradoxalmente, o discípulo de Jesus demonstra um poder maior, mas sem ser duro. Isto quer dizer que os mansos são mais poderosos que os autoritários ou os agressivos.

Nós nos aproximamos de Jesus e somos transformados por ele, em seguida ele nos dá o poder para sermos mansos, porque nós mesmos não temos esta condição. Além disso, ao invés de conquistar as coisas ou lutar até à exaustão para te-las, ele nos dá uma herança. Isto quer dizer que não há nenhum mérito nosso nesse processo.

O Reino que Jesus propõe no Sermão da Montanha é um reino que nós recebemos e não um reino que nós conquistamos. Esta perspectiva nos ajuda a compreender o papel da igreja. Nós não devemos lutar contra o poder do mundo a fim de nos estabelecermos como uma organização poderosa ou mesmo mostrar o quanto somos poderosos.

Devemos nos lembrar que nós somos pecadores diante de um Deus Santo. Nós somos pobres, nós choramos. Qual é a nossa capacidade diante de todas as coisas da vida? Além disso, nós devemos ser mansos. Nós não conquistamos a terra, pois o reino dos céus nos é dado.

Ademais, a partir deste ponto do Sermão da Montanha há uma mudança de direção. Antes o discípulo estava observando a ele mesmo. Ele ve a sua pobreza e chora. A partir daqui, não é mais o discípulo que se observa, mas o outro. Nós não podemos nos julgar mansos, mas são os outros que vão nos dizer se nós o somos. Isto torna a subida um pouco mais difícil, não é? Trata-se de um exercício de humildade.

Esta característica não vem de nós mesmos, pois não se trata de uma característica psicológica. Não se trata de indolência e nem de um torpor com relação à vida. De fato, quando nós nos enxergamos como pobres de espírito, como aqueles que choram, é difícil nos considerarmos melhor do que os outros. Ser manso é também compreender que nós não temos mais necessidade de defendermos a nós mesmos.

Nós não somos nada, nós estamos vazios, nós não temos nada diante do Senhor. Assim, não há mais razão de viver na defensiva. Como disse John Bunyan: “aqueles que já estão caídos não tem medo da queda”.

Uma vez que nós tomamos consciência destes fatos nós somos felizes, pois não há mais medo. Estamos diante do Senhor, nós não temos mais necessidade de nos justificar ou de nos defendermos.

Deixe seu comentário:

  • Robert Guedes

    Olha Milhoranza tudo bem, você entende herdar a terra como sendo o reino dos céus no versículo 5 do capítulo 5? Grato por compartilhar está maravilha.