O Sermão da Montanha - Fome e sede da justiça de Deus

O Sermão da Montanha – Fome e sede de justiça

Publicado em Estudos no Novo Testamento O Sermão da Montanha no dia 12 de agosto de 2017

Fome e sede de justiça de Deus

O Sermão da Montanha – Fome e sede da justiça de Deus

Para entendermos o que Jesus quis dizer com a expressão “fome e sede de justiça” é necessário que compreendamos que justiça, neste contexto, é a retidão de vida a partir da obediência à Palavra de Deus.

Assim, o termo “justiça” tem um significado divino e não humano. Isso quer dizer que os nossos valores devem estar contidos nos valores cuja origem é a Palavra de Deus. Desta forma, este texto não trata sobre o nosso próprio sentido de justiça.

Esta primeira parte do Sermão da Montanha trata sobre a transformação do caráter do cidadão do Reino dos céus, por isso Jesus fala sobre a aprovação deste cidadão por Deus. Em outras palavras, a sua justificação. Todos aqueles que desejam ser aprovados por Deus, e todos aqueles que desejam a retidão da Palavra de Deus serão satisfeitos. Deste modo, ter fome e sede de justiça é ter em primeiro lugar o desejo de ser aceito por Deus, uma vez que seu caráter está transformado.

Podemos ainda detalhar a expressão “fome e sede de justiça de Deus” a partir dos dois substantivos que expressam uma necessidade humana : fome e sede. Ter fome nos indica uma grande necessidade. E quando passamos por momentos de grande necessidade nós desejamos tal coisa com muita intensidade. Isto é, n;os a desejamos de todo o coração. A sede nos indica uma vida sem vigor, uma vida estagnada. Uma vida sem água caminha para a morte.

O que Jesus nos ensina é que devemos estar conscientes das nossas necessidades espirituais. O resultado é que estamos sempre satisfeitos, não apenas cheios e estufados, mas na situação completamente oposta à anterior. Umas vez que estamos satisfeitos em Deus, todos os nossos pensamentos e ações estarão voltados para Deus e para o nosso próximo.

Esta bem-aventurança está diretamente ligada à anterior, pois são apenas os mansos que tem fome e sede de justiça. Devemos lebrar que ser manso é ser alguém controlado por Deus, ou alguém que demonstra um poder sem tirania. Em consequência, ao mesmo tempo que estamos satisfeitos em Deus, nosso ego é desinflado. Quando nosso ego é desinflado, nós somos capazes de ver o nosso vazio interior, e por isso, nos damos conta da nossa pobreza espiritual e em seguida choramos por esta condição na qual nos encontramos.

Nós devemos reconhecer a necessidade de sermos controlados por Deus e não por nós mesmos. Nós temos uma grande necessidade de fazermos a vontade de Deus e não a nossa. O Sermão da Montanha nos ensina que aqueles que são felizes são os que deixam o seu próprio ego de lado para fazer a vontade de Deus. Por outro lado, um dos valores do mundo é justamente a procura da felicidade para satisfazer o seu próprio ego.

De fato, o ser humano jamais estará satisfeito. Porém, Jesus inverte o sentido desta verdade ao dizer que felizes são aqueles que estão satisfeitos em Deus.

Mas, será que nós podemos buscar uma vida melhor para nós ? Claro que sim ! Porém, se a nossa vida for a busca pela felicidade nessa vida nós estamos nos enganando, pois uma vida melhor é apenas um meio e não o objetivo da nossa vida aqui.

A grande razão dos conflitos entre as pessoas é a busca pela felicidade para satisfazer o seu ego, pois não pensa-se duas vezes antes de passar por cima do próximo para cumprir este objetivo.

Jesus afirma que a felicidade se encontra na busca e na realização da vontade de Deus. A justiça da nossa vida é a retidão da Palavra de Deus e o restabelecimento da nossa relação com ele.

Deixe seu comentário: