38 – Malaquias – Um novo recomeço

Malaquias

Introdução ao Livro de Malaquias – Um novo recomeço

 

Sabe-se muito pouco a respeito do profeta Malaquias, pois o livro omite detalhes de sua vida e genealogia tal como Obadias. Talvez o nome Malaquias seja apenas o título do enviado de Javé. No verso 3:1 a mesma palavra Malaquias é usada para descrever a atribuição do profeta e não seu nome. A tradição judaica coloca Malaquias como membro da Grande Sinagoga assim como Ageu e Zacarias. Este conselho foi o responsável por reimplantar e reorganizar a vida social, cultural e religiosa de israel no pós-exílio.

Continuar lendo 38 – Malaquias – Um novo recomeço

37 – Zacarias – O Messias vem aí

Zacarias

Introdução ao Livro de Zacarias – O Messias vem aí

O ministério de Zacarias foi adicional ao de Ageu no período pós-exílico. Zacarias começou seu trabalho cerca de dois meses após os oráculos de Ageu. Ageu desafiara o povo a reconstruir o templo e Zacarias chamou a comunidade pós-exílica ao arrependimento. Uma vez que os trabalhos de reconstrução estavam concluídos, restava ao povo a consciência correta da adoração e serviço apropriados.

Continuar lendo 37 – Zacarias – O Messias vem aí

36 – Ageu – Mãos à obra!

Ageu

Introdução ao Livro de Ageu – Mãos à obra!

Ageu e Zacarias são contemporâneos. Eles tiveram seu ministério profético no período persa da história dos hebreus (550 – 330 a.C.). Os profetas Daniel, Joel e Malaquias completam o quadro da atividade e da literatura profética hebraica desta época. A menção ao templo de Salomão (2:13) parece sugerir que Ageu fora testemunha ocular do templo de Salomão, tenha sido levado ao exílio e retornou. Portanto, ele tinha por volta de 80 anos quando iniciou seu curto ministério profético.

Continuar lendo 36 – Ageu – Mãos à obra!

35 – Sofonias – Ninguém escapa do Dia do Senhor

 

sofonias

Introdução ao Livro de Sofonias – Ninguém escapa do Dia do Senhor

Sofonias foi um profeta que viveu no mesmo período de Jeremias, e talvez tenha sido um membro da corte governamental, pois provavelmente era descendente do rei Ezequias. Na introdução (1:1) ao livro são citadas quatro gerações de sua família, talvez para ratificar o conhecimento que tinha sobre os pecados de Judá e dar credibilidade à sua pregação, uma vez que era descendente de um dos grandes reis de Jerusalém.

Continuar lendo 35 – Sofonias – Ninguém escapa do Dia do Senhor

34 – Habacuque – A lógica teológica

Habacuque

Introdução ao Livro de Habacuque – A lógica teológica!

Não nos é revelado nada no texto sobre o profeta Habacuque. Seu livro, ao invés de guardar seus oráculos, serve como um diário de suas crises teológicas e existenciais. Seu livro é distinto dos demais escritos proféticos por assumir um tom mais filosófico e de diálogo com Deus. O tema deste diálogo filosófico se concentra em torno da justiça divina.

Continuar lendo 34 – Habacuque – A lógica teológica

33 – Naum – Ninguém é tão poderoso assim

Naum

Introdução ao Livro de Naum – Ninguém é tão poderoso assim

Jonas já havia estado em Nínive no século VIII a.C. para proclamar o juízo de Javé sobre a cidade. Naquela época houve arrependimento e Nínive foi poupada. Mais de um século depois, Naum decretou o fim de Nínive, entretanto, dessa vez, não houve arrependimento e a capital Assíria foi destruída.

É possível que Naum tenha herdado de Isaías a construção literária de seu texto, pois a expressão “Vejam sobre os montes os pés do que anuncia boas notícias e proclama a paz!” ocorre apenas nestes dois livros (Na. 1:15 e Is. 52:7).

Continuar lendo 33 – Naum – Ninguém é tão poderoso assim

32 – Miquéias – Injustiça pouca é bobagem

Miqueias

Introdução ao Livro de Miqueias – Injustiça pouca é bobagem

Miqueias viveu na mesma época do profeta Isaías e é mencionado em Jeremias (26:18-19) acerca da destruição de Jerusalém cem anos depois. Esta citação aponta para o prestígio que Miqueias ainda tinha como profeta do Senhor e o cuidado dos hebreus na preservação destes registros. A mensagem de Miqueias, em termos de contundência, pode ser comparada à de Amós.

Continuar lendo 32 – Miquéias – Injustiça pouca é bobagem

31 – Jonas – Corra para ver o que acontece

Jonas

Jonas  – Corra para ver o que acontece – Introdução ao Livro de 

O livro de Jonas difere dos demais profetas em razão do seu conteúdo narrativo em vez de oracular. Desta forma podemos dizer que a mensagem do profeta não é um conjunto de palavras dirigidas às nações, antes trata-se da própria experiência de Jonas. Além disso, o profeta não recebe a palavra de Deus em forma de sonho ou visão, formas típicas do recebimento oracular.

O profeta Jonas também é mencionado em 2 Reis 14:25. Nesta época Jeroboão II reinava em Israel no século VIII a.C. Isto o coloca no momento da recuperação econômica e política do Reino do Norte. Portanto Jonas é contemporâneo de Amós e Oseias.

Continuar lendo 31 – Jonas – Corra para ver o que acontece

31 – Obadias – Curto e grosso

Obadias

Introdução ao Livro de Obadias –  Curto e grosso

 

O livro de Obadias é o mais curto do Antigo Testamento; possui apenas 21 versículos. A biografia de Obadias ainda é um tema discutido entre os estudiosos, pois quase nada se sabe sobre o profeta. A tradição judaica de que o autor do livro foi o mordomo do rei Acabe não se apoia em nenhuma evidência ou confirmação histórica (Talmude: Sanhedrin 39b; 1 Rs. 18:3-16).

Continuar lendo 31 – Obadias – Curto e grosso

29 – Amós – O profeta da justiça social

Amós

Introdução ao Livro de Amós –  O profeta da justiça social

Amós é o contemporâneo mais velho de Miquéias e Oséias e foi o primeiro dos profetas escritores. Seu nome significa “aquele que leva cargas pesadas”. Amós era criador de gado e produtor de figos numa vila ao sul de Jerusalém chamada Tecoa. Amós recusou-se a ser chamado de profeta evidenciando a sua ruptura com as instituições formais de seu tempo: o palácio real e o templo (7:14-15).

Continuar lendo 29 – Amós – O profeta da justiça social