O envio de Onésimo – v. 12-14

Paulo está pesaroso de mandar Onésimo de volta, pois ele lhe fora muito útil na prisão. Onésimo havia fugido de seu senhor, para uma suposta vida de liberdade. Porém, depois de sua conversão Onésimo não se importou em ficar com Paulo, antes abriu mão de sua própria liberdade, ainda que contra as normas, para ajudá-lo. Onésimo havia aprendido que somos servos uns dos outros, e agora estava pronto a servir Filemon como se estivesse servindo ao próprio Jesus.

Paulo, mais uma vez, ressalta sua prisão por causa do evangelho, mas em nenhum momento diz isso com pesar ou tristeza.

Parece que Paulo deseja ficar com Onésimo, pois este lhe tem sido muito útil, mas, segundo as leis da época, Onésimo pertence a Filemon, e Paulo não podia fazer isso de forma alguma, por isso o manda de volta.

Paulo aqui não vai contra as leis civis sobre a escravidão, pois este não é a razão de sua carta. Pelo contrário, Paulo sempre demonstra submissão às leis civis da época, desde que não entrem em conflito com as leis de Deus. Paulo está muito mais preocupado com o relacionamento cristão entre os irmãos do que com as questões civis. Porém isso não deve ser tratado como uma aprovação de Paulo à escravidão, ele apenas não tratou destes assuntos seculares por achar que o amor entre os irmãos é superior a estas questões.

Publicado por

Alexandre Milhoranza

Sou Alexandre Milhoranza e pertenço à Igreja Batista. Sou Casado com a Ana Claudia e temos dois filhos, a Bárbara e o Eduardo. Atuo profissionalmente com Desenvolvimento de Sistemas Web na plataforma .NET e Sharepoint, mas também estudo Teologia na Faculdade Teológica Batista de São Paulo. Um pecador salvo unicamente pela graça de Deus, e basta.